Trazendo strings após PIPE com Substring no mysql

Olá pessoal,

Estou disponibilizando este breve artigo, que achei bacana compartilhar.

Uma vez, precisei exibir em um relatório determinado valores após o PIPE. Temos algumas técnicas que conseguimos extrair esses dados, porém o que quero compartilhar é uma forma simples de conseguir o êxito em tal resultado.

Temos o seguinte exemplo básico abaixo:

Testando o substring buscando o PIPE | dentro de um contexto do Mysql

Quero utilizar esse exemplo acima, para trazermos o texto após o Pipe, ou seja, somente este trecho: dentro de um contexto do Mysql.

 

Vamos a prática, para isso, será necessário um client ou terminal mysql para executarmos os testes.

  • Primeiro vamos setar esse texto na memória:
    • SET @minhavar=”Testando o substring buscando o PIPE | dentro de um contexto do Mysql”;
  • Agora utilizamos o script abaixo:
    • SELECT     X.*,    SUBSTRING(Campo,LOCATE(‘|’,Campo,+1)-1) LocalizarAposPipe

      FROM

          (SELECT @minhavar AS Campo) AS X

Vemos acima, que utilizamos as funções Locate para que consiga localizar exatamente a posição do “|” Pipe, e assim ele nos retornasse o texto.

Podemos melhorar um pouco. Repare que desta forma está nos retornando o PIPE no texto. Sendo assim, podemos remove-lo com a função Replace:

  • SELECT
    X.*,
    REPLACE(SUBSTRING(Campo,LOCATE(‘|’,Campo,+1)-1),’|’,”) LocalizarAposPipe
    FROM
    (SELECT @minhavar AS Campo) AS X

 

Desta forma, poderá exibir o conteúdo após determinada palavra ou número em específico.

Espero ter contribuído.

 

Obrigado e até a próxima!

 

 

 

 

 

Utilizando o var dump no PHP

Olá amigos leitores,

Estou iniciando o ano de 2017 com este artigo que acredito ser bastante útil aos iniciantes na linguagem de programação PHP.

Vamos supor que estamos realizando algum projeto em PHP, e nos deparamos com um erro de sintaxe de Mysql na página que não conseguimos identificar rapidamente em qual parte da query esta com divergência.

Podemos neste caso utilizar o var_dump da própria linguagem, que consiste em nos informar na tela o script que esta sendo realizado naquele momento, facilitando assim em qual coluna estamos com o eventual problema.

No exemplo abaixo, mostro um erro de sintaxe do mysql apresentando na página após utilizar uma função de inserir dados na tabela:

Como vimos acima, não é nos apresentado de forma de facil entendimento em qual coluna estamos com erro no mysql. Para aparecer a query juntamente com esse erro irei inserir a função var_dump na própria query, local aonde esta a inserção para o mysql:

var_dump($query);

Ao chamar a classe que adiciona o produto, ele apresentará na parte superior a query do mysql:

Ao analisarmos o INSERT, vemos que a coluna categoria_id esta com divergência, pois não esta sendo inserido os dados que foi atribuído no formulário da página, sendo um provável erro na lógica ou na classe.

 

Bom, espero que tenha contribuído de alguma forma.

 

Obrigado e até a próxima.

 

 

 

 

Conectar à rede Wireless no Slackware

slack_central

 

 

 

 

Olá Pessoal,

Neste artigo, irei demonstrar uma forma simples e fácil de conectar á uma rede Wireless com protocolo WPA no Slackware (a versão do Slackware utilizada foi a 14.1).

Vale ressaltar que este método funciona também para redes Wireless com SSID oculto.

Caso esteja no ambiente gráfico, vamos utilizar o terminal(Konsole).
Vamos inicialmente ter permissão de Root para poder dar continuidade.

bash~$ su
senharoot

Primeiro passo será passar algumas informações da rede wireless para o arquivo de configuração do wpa_supplicant, que é o responsável pelo protocolo de segurança da rede.

bash~$ wpa_passphrase nomedarede senhadarede > /etc/wpa_supplicant.conf

Agora vamos editar o arquivo de interface da rede, rc.inet1.conf, removendo comentários de algumas linhas e atribuindo valores:

bash~$ nano /etc/rc.d/rc.inet1.conf

Localizem o conteúdo e editem. Ficará algo semelhante com o exemplo abaixo:

## Example config information for wlan0, Uncomment the lines you need and fill

## in your data. (You may not need all of these for your wireless network)

IFNAME[4]=”wlan0”

#IPADDR[4]=””

#NETMASK[4]=””

USE_DHCP[4]=”yes”

#DHCP_HOSTNAME[4]=”icculus-wireless”

#DHCP_KEEPRESOLV[4]=”yes”

#DHCP_KEEPNTP[4]=”yes”

#DHCP_KEEPGW[4]=”yes”

#DHCP_IPADDR[4]=””

WLAN_ESSID[4]=nomedarede

#WLAN_MODE[4]=Managed

#WLAN_RATE[4]=”54M auto”

#WLAN_CHANNEL[4]=”auto”

#WLAN_KEY[4]=”D5A31F54ACF0487C2D0B1C10D2”

#WLAN_IWPRIV[4]=”set AuthMode=WPAPSK | set EncrypType=TKIP | set WPAPSK=96389dc66eaf7e6efd5b5523ae43$”

WLAN_WPA[4]=”wpa_supplicant”

WLAN_WPADRIVER[4]=”wext”

#WLAN_WPAWAIT[4]=30

 

Terminando a edição, vamos sair do Nano apertando as teclas Ctrl + X , digitando y para salvar e pressionando a tecla ENTER para confirmar.

Para finalizar, basta reiniciar a interface de rede com os comandos abaixo:

$/etc/rc.d/rc.inet1 stop
$/etc/rc.d/rc.inet1 start

 

Esse processo demorará cerca de 1 à 5 minutos, e não será necessário configurar outra vez a rede após o reinicio da máquina.

Feito isso, provavelmente você conseguirá navegar na internet. Lembrando de consultar as opções de proxy do navegador, caso utilizasse antes um ip Fixo, alterando o proxy para o modo automático.

 

Boa sorte à todos, e até a próxima!

RHC – Command Line Tool

openshift_logo

 

RHC – Command Line Tool

A plataforma OpenShift da empresa Red Hat, disponibiliza uma ferramenta de linha de comando multiplataforma, para gerenciar as aplicações em seu servidor. É um meio que facilita muito a vida do Desenvolvedor, logo que não precisará necessariamente acessar o site da RedHat para criar a aplicação. O intuito deste artigo, é apenas mostrar de forma simplificada, como criar uma aplicação na nuvem através da linha de comando CMD. Este tutorial, é para plataforma Windows, mas caso utilize outro Sistema Operacional, poderá absolver o conhecimento como base.

Para iniciarmos, é necessário possuir uma conta no site da Openshift.

Podemos cria-la gratuitamente através do link: https://www.openshift.com/products/pricing

Lembrando que a OpenShift permite que hospedamos até 3 aplicações web na nuvem gratuitamente. Fantástico né? =)

Para podermos instalar o RHC através da própria linha de comando, antes, é necessário instalar 2 programas. O Ruby e o GIT.

 

RUBY:

O download do Ruby, pode ser efetuado através do link do site oficial: http://rubyinstaller.org/downloads/

Importante: Na instalação do Ruby, após aceitar os termos, não esquecer de marcar a opção para adicionar automaticamente o Ruby na variável de ambiente PATH. Add Ruby executables to your PATH.

 

GIT:

O download do GIT, também pode ser feito através do seu site oficial. Link: https://github.com/git-for-windows/git/releases/tag/v2.5.2.windows.1

Importante: Na instalação do Git, será necessário seguir os passos abaixo:

 

Passo 1:

Instalacao1

Passo 2:

Instalacao2

 

Após o termino da instalação dos 2 softwares, o próximo passo será executar o Prompt de Comando – CMD (Executar como Administrador).

Conforme a imagem abaixo, digitar o comando:

C:\> gem install rhc

install_rhc 

 

Com a instalação concluída, para iniciar o RHC, digitar o comando abaixo:

C:\> rhc setup

 

Abaixo, digitar o seu usuário e senha da conta na Openshift:

 

Login to openshift.redhat.com: email@example.com
Password: suasenha

 

O openshift solicitará para gerar um TOKEN para você acesse o servidor sem o uso da senha. Digitar yes e pressionar Enter.

 

OpenShift can create and store a token on disk which allows to you to access the server without using your password. The key is stored in your home directory and should be kept secret. You can delete the key at any time by running 'rhc logout'. 
Generate a token now? (yes|no) yes 
Generating an authorization token for this client ... lasts about 1 day

 

No próximo passo, a instalação irá solicitar que utilize chaves SSH para que o sistema conecte remotamente as suas aplicações. A chave será criada automaticamente.

 

No SSH keys were found. We will generate a pair of keys for you. 
Created: C:\Users\Diego\.ssh\id_rsa.pub

 

Após gerar as chaves SSH, será necessário enviá-la ao servidor Openshift para autorizar o acesso ao servidor. Para isso digitar yes para permitir o envio.

Você pode atribuir um nome para a chave, ou deixa-la em branco para enviá-la como default.

 

Your public ssh key must be uploaded to the OpenShift server to access code. 
Upload now? (yes|no) yes
Since you do not have any keys associated with your OpenShift account, your new key will be uploaded as the 'default' key
Uploading key 'default' from C:\Users\User1\.ssh\id_rsa.pub ... done

 

Caso você ainda não possua um domínio criado, será necessário criar um(No meu caso, criei o ‘DominioTeste’:

 

Checking for a domain ... none
Your domain is unique to your account and is the suffix of the public URLs we assign to your applications. You may configure your domain here or leave it blank and use 'rhc domain create' to create a domain later. You will not be able to create applications without first creating a domain.
Please enter a domain (letters and numbers only) |<none>|: DominioTeste
Your domain name 'DominioTeste' has been successfully created

 

Estamos quase finalizando o propósito que é criar uma aplicação na nuvem via prompt de comando. O sistema ira verificar se existe alguma aplicação criada para esse domínio.

Para criar uma aplicação, será necessário atribuir um nome e qual será o Cartridge da Openshift que irá utilizar para criação do APP.

Para saber mais sobre os Cartridges da Openshift, aconselho ler a documentação da Openshift: https://developers.openshift.com/en/languages-overview.html

No Exemplo abaixo, utilizei o servidor web Wildfly, que a Openshift executa aplicações Java.

Comando: C:\>rhc app create nomeDaApp jboss-wildfly-9

createappwildfly1

 

createappwildfly2

 

Após criar a aplicação com sucesso, ele gera uma URL, referente à aplicação Web que acaba de ser criada. Você pode acessar a URL gerada da sua nova aplicação, através do navegador, como no exemplo abaixo:

 

url

 

É bem mais simples né? Você poder gerenciar suas aplicações WEB via Prompt de Comando, utilizando o rhc, sem a necessidade de utilizar um browser.

Caso, tenham alguma dúvida, recomendo que acessem a pagina:

https://developers.openshift.com/en/managing-client-tools.html

 

Boa sorte e até a próxima!

Brackets

bracketindex

Olá caro leitor,

Neste breve artigo, irei falar um pouco sobre o Brackets, um editor de códigos gratuito da Adobe. Se trata de um editor simples, moderno e eficaz. Uma das características dele, é que é possível utiliza-lo como editor para o desenvolvimento de linguagens: HTML, CSS, PHP, Java, Ruby, C, C#, entre outras diversas linguagens.

Outra característica, conforme a imagem abaixo, é que ele separa as pastas nas quais está trabalhando no projeto, no caso abaixo, dividiu os diretórios css, fonts, img e js. Os arquivos nos quais está editando, fica destacado em Working Files, facilitando muito a vida do programador.

area

 

No menu superior esquerdo próximo de Working Files, existe um ícone de engrenagem, que possibilita você ordenar os arquivos que você está editando. No ícone que tem duas setas (uma seta pro lado esquerdo e outra pro direito) , nos permite escolher a opção de utilizar o editor na Horizontal, ou na Vertical, sendo muito útil para verificação dos códigos, ou para programar em 2 arquivos simultaneamente. Ficando desta forma dividido os arquivos em Left/Right para Vertical, e Top/Bottom para a Horizontal.

Download

O Download do programa Brackets, pode ser feito através do site do programa. Atualmente está disponível para as plataformas Windows, Mac e Linux.

Link do site oficial: http://brackets.io/
Ou, clique aqui para ser redirecionado á pagina de Download.